Premium Julgado por angariar sem-abrigo por 50 euros para trabalho escravo

Julgado por angariar sem-abrigo por 50 euros para trabalho escravo

Nas ruas do Porto e de Gondomar, abordava sem-abrigo, toxicodependentes e mesmo pessoas com deficiência para os convencer a aceitar um emprego supostamente bem remunerado na agricultura, em Espanha.

Mas na realidade era um angariador de mão-de-obra escrava, que recebia 50 euros por cada ser humano traficado.

O indivíduo, de 47 anos, atualmente na cadeia por outros crimes, está agora a ser julgado no Tribunal de S. João Novo, no Porto, onde também respondem dois casais, um deles dono de empresas de exploração agrícola, acusados de escravizar as vítimas no país vizinho. Serviam de intermediários com os proprietários agrícolas espanhóis, ficando com o dinheiro das vítimas.

O esquema, desmantelado pela PJ do Porto, durou de 2010 a 2015. De acordo com a acusação do Ministério Público, Sérgio S. recrutava as vítimas que sabia de antemão estarem a viver sozinhas, sem retaguarda familiar, com fragilidades psíquicas e económicas. Prometia-lhes um ordenado de 35 euros por dia ou então cinco euros à hora, com garantia de alojamento, refeições e transporte garantidos.

Leia mais em Jornal de Notícias

Relacionadas

Exclusivos