Jack Ma, o homem mais rico da China, é agora um bom samaritano de máscara

O dono do grupo Alibaba enviou aviões carregados de material cirúrgico para o Japão, Coreia do Sul, Espanha, Itália, Irão e Iraque. Ajudou os EUA e vai estender a mão a África

O homem mais rico da China, espécie de Bill Gates do gigante asiático, está em tempos de pandemia convertido num bom samaritano de máscara, como escreveu o jornal espanhol El Mundo.

Jack Ma, através da fundação com o seu nome, líder do grupo Alibaba (plataforma de comércio eletrónico), está a enviar aviões carregados de material cirúrgico para países necessitados, entre eles Japão, Coreia do Sul, Espanha, Itália, Irão e Iraque . Um deles aterrou em Saragoça, Espanha, proveniente de Xangai. Carregava 500.000 máscaras. "Juntos podemos vencer", é a mensagem da Fundação Jack Ma para o mundo aterrorizado com a pandemia de coronavírus.

Já está de olho em África, assim que constatou o escalar do vírus no continente negro. Através da Fundação Jack Ma, mais de um milhão de testes, seis milhões de máscaras e 60.000 fatos protetores foram enviados para a Etiópia para que, a partir dali, sejam distribuídos por outros 54 países africanos com casos de contágio. "O mundo não pode permitir as consequências impensáveis de uma pandemia em África", afirmou o multimilionário chinês.

Mas quem é o homem mais rico da China? Ma é um professor de inglês de 55 anos que em 1999 montou uma plataforma de comércio eletrónico a que chamou Alibaba. O empresário cuja fortuna está avaliada em 35.500 milhões de euros que há um ano deixou o seu cargo como presidente executivo da companhia para dedicar-se ao ensino e à filantropia, ao estilo do multimilionário norte-americano Bill Gates, fundador da Microsoft.

Jack Ma abriu há uma semana uma conta no Twitter para promover a sua campanha solidária. Enviou 500.000 testes do coronavírus para os Estados Unidos e um milhão de máscaras. Numa altura em que Pequim e Washington voltaram ao jogo do gato e do rato e guerreiam-se em teorias da conspiração sobre quem inventou o vírus, o fundador do Alibaba focou-se em estender uma mão aos norte-americanos, como escreveu o El Mundo. Para além de enviar material clínico, dooou 2,1 milhões de dólares à Universidade de Columbia para o desenvolvimento de um medicamento e de anticorpos contra o Covid-19.

"Se nos basearmos na experiência do meu próprio país, a forma mais efetiva para prevenir a propagação do coronavírus é ter testes rápidos e precisos e equipamentos de proteção pessoal adequados aos profissionais de Saúde", escreveu o multimilionário na sua conta do Twitter.

No último tweet, Jack Ma anunciou ter lançado uma plataforma online para médicos e enfermeiros em todo o mundo trocarem ideias, lições e conhecimento no combate ao Covid-19. "Convidamos todos os hospitais a juntarem-se aos hospitais chineses nesta plataforma aberta: https://covid-19.alibabacloud.com. Um mundo, uma mesma batalha", escreveu.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

Relacionadas

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG