Quatro anos depois, Brasil ainda não bateu meta de alfabetização

O pernambucano Antônio Manoel de Barros, 62, sabe escrever apenas seu nome e ganha a vida debulhando feijão em feira do Recife

Nordeste tem taxa de analfabetos quatro vezes maior que a do Sudeste, mostram dados de 2018 do IBGE

O objetivo era atingir a meta em 2015, mas quatro anos se passaram e a porcentagem de brasileiros que não conseguem ler ou escrever nem um bilhete simples continua maior que o esperado. Em 2018 essa taxa foi de 6,8%, acima dos 6,5% imaginados para três anos antes pelo Plano Nacional de Educação.

O Brasil permanece com uma marca de 11 milhões de analfabetos (a população portuguesa é de 10,3 milhões), mesmo com 121 mil pessoas a menos nessa estatística se comparado com o ano anterior.

Leia mais em Folha de S.Paulo

Relacionadas

Exclusivos