PR moçambicano pede vigilância a grupos armados

Forças de segurança moçambicanas em patrulha

Filipe Nyusi, pediu à população da província de Tete vigilância face ao recrutamento de jovens por grupos armados que protagonizam ataques no norte do país.

"É necessário aumentar a vigilância nas comunidades e denunciar os infiltrados que estão a semear confusão nas cabeças das pessoas, sobretudo nos jovens", afirmou Filipe Nyusi, num comício em Tete, em declarações citadas hoje pelo diário Notícias.

O chefe de Estado moçambicano disse que membros dos referidos grupos armados capturados pelas Forças de Defesa e Segurança (FDS) apontaram o desemprego e a pobreza como causas do seu envolvimento em ações de violência.

"Algumas pessoas que foram capturadas e interrogadas dizem que estão a matar outras pessoas devido ao desemprego e à pobreza. Estes motivos não cabem na cabeça de ninguém", declarou Filipe Nyusi.

Dezenas de pessoas foram mortas, incluindo membros das Forças de Defesa e Segurança (FDS) e elementos dos referidos grupos armados, na onda de violência que eclodiu em outubro em alguns distritos da província de Cabo Delgado, norte de Moçambique.

As reais motivações dos grupos não são conhecidas, mas investigadores independentes consideram que os seus líderes se aproveitam do fundamentalismo islâmico para mascarar a tentativa de controlo do comércio ilegal de recursos naturais, como minérios e madeira.

Cabo Delgado vai ser palco de avultados investimentos por parte de multinacionais que vão produzir gás natural na região.

Relacionadas