PJ da Guiné-Bissau apreende mais de 100 toneladas de arroz doadas pela China

O arroz integra a cesta básica do país

A Polícia Judiciária da Guiné-Bissau apreendeu na quarta-feira mais de 100 toneladas de arroz doadas pela China, que estavam a ser preparadas para ser vendidas no mercado interno, disse fonte daquela força de investigação criminal.

"Estes sacos de arroz foram apreendidos num armazém em Bafatá. É arroz doado pelo Governo da China ao povo da Guiné-Bissau e não pode ser vendido", explicou aos jornalistas o coordenador nacional da Polícia Judiciária guineense, Fernando Jorge.

Segundo o coordenador nacional da PJ, o arroz foi apreendido quando estava a ser preparado para entrar no mercado interno.

Questionado pelos jornalistas sobre se há pessoas detidas no âmbito da operação, Fernando Jorge disse que ainda não, porque a investigação prossegue e a PJ está, numa primeira fase, preocupada em recuperar o arroz.

"Só quero avançar a quantidade de arroz apreendida e que a investigação vai continuar e que este não é o único armazém a ser investigado", explicou, sem querer avançar o nome do proprietário do armazém onde o arroz foi apreendido.

A PJ guineense afirmou que o arroz doado pela China estava a ser preparado para ser utilizado durante a campanha de comercialização de caju.

Relacionadas

Exclusivos