Guterres promete às crianças da Beira uma escola"muito bonita"

O secretário-geral da ONU, António Guterres, continua a visitar as vítimas do ciclone Idai na cidade da Beira em Moçambique e esta manhã esteve na Escola 25 de junho.

O diretor da escola, Frederico Francisco, mostrou os estragos do ciclone que deixou a maioria das salas de aula sem tecto. O Idai é considerado o mais violento ciclone a passar pela África Austral nas últimas décadas.

No local, o secretário-geral da ONU percorreu várias salas de aula, perguntando as crianças como tinha sido o ciclone e o que tinha feito na sua escola.

Durante a visita, Guterres perguntou quantas crianças tinham tido a sua casa destruída. A resposta não podia ser mais esclarecedora: Quase todas levantaram a mão.

Emocionado o líder da ONU prometeu que a escola seria reconstruída e que ficaria "muito bonita."

Durante a conversa com as crianças, o português explicou o que eram as Nações Unidas: "É um sítio onde se juntam todos os países para tentar resolver os problemas do mundo. Às vezes conseguem, às vezes não."

Ainda na escola, Guterres manteve um encontro com um grupo de pessoas com deficiências, todas sobreviventes da devastação provocada pelo Idai. No final, indicou que "a nossa obrigação é fazer de tudo para ajudar, sobretudo as pessoas mais vulneráveis, que sofreram mais com esta tragédia".

Esta tarde, António Guterres seguiu para o campo de Mutua que acolheu centenas de milhares de famílias.

Durante o voo de ligação entre a Beira e Mutua, Guterres disse que Moçambique já não se encontra "no pico da crise" causada pelos dois ciclones que afetaram o país, mas que ainda é preciso destacar "a gravidade do problema e a necessidade da ajuda internacional."

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

Relacionadas

Exclusivos