Facebook reconhece que falhou em impedir violência contra rohingya

Estudo encomendado pela empresa mostra disseminação de conteúdo falso e de ódio na plataforma

Os ataques contra a minoria muçulmana rohingya em Mianmar ocorreram, em parte, porque o Facebook não tomou as medidas necessárias para impedir a disseminação de notícias falsas e de conteúdo de ódio, diz um novo relatório encomendado pela própria companhia.

Segundo o documento, posts e contas na rede social incentivaram e ampliaram a tensão entre os rohingya e a maioria budista do país de 53 milhões de habitantes, muitas vezes levando a casos de violência.

Leia mais em Folha de S. Paulo

Relacionadas