"Ensinamos o português como se fosse língua materna, quando não é"

O diretor executivo do Instituto Internacional de Língua Portuguesa (IILP) defendeu esta sexta-feira que o ensino do português como língua materna em países com "línguas africanas muito vivas" não é "a melhor" metodologia, antecipando alterações na forma de ensino.

"Depois de observar durante muitos anos alguns sistemas de ensino, algumas metodologias de ensino de língua portuguesa, fiquei com a ideia que a metodologia não é a melhor, porque ensinamos o português nos nossos países como se fosse língua materna, quando não é. Talvez uma abordagem diferente fosse mais produtiva", defendeu Incanha Intumbo.

O diretor executivo do IILP, um organismo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), falava na cidade da Praia, no arranque do segundo dia do IX Encontro de Escritores de Língua Portuguesa, evento organizado pela União das Cidades Capitais de Língua Portuguesa (UCCLA) e pela Câmara Municipal da Praia.

Leia mais em Diário de Notícias

Relacionadas

Exclusivos