Empresa alemã multada em 1,1 milhões USD por suborno a agente da Sonangol

Tribunal britânico que investiga o crime financeiro decretou hoje uma multa de 1,1 milhões de dólares à empresa alemã FH Bertling por ter subornado, em 2006, um funcionário da Sonangol para garantir contratos de transporte marítimo em Angola.

O 'Serious Fraud Office' (SFO), o nome do tribunal que investiga os crimes e fraudes financeiras complexas, anunciou que a multa à empresa alemã FH Bertling e a vários dos seus administradores resulta da tentativa de corrupção de um empregado da Sonangol, a companhia petrolífera angolana, para garantir contratos de transporte marítimo, e surge na sequência de um processo que decorreu nos tribunais britânico há três anos.

Em causa está um pagamento de 250 mil dólares, feito em 2006, a um agente da Sonangol para garantir a obtenção dos contratos, que foi investigado pelo tribunal britânico e que levou ao fecho das operações da empresa alemã no Reino Unido, que está atualmente em liquidação, de acordo com uma notícia publicada hoje pelo Wall Street Journal.

Em 2017, o tribunal já tinha condenado três antigos executivos da subsidiária britânica do grupo alemão Bertling por corrupção relativa a pagamentos feitos a um empregado da petrolífera angolana Sonangol.

A sentença do tribunal londrino resulta de uma investigação da agência britânica Serious Fraud Office (SFO) aos negócios da Bertling, uma empresa de logística e transportes, em Angola e aos pagamentos ilícitos de cerca de 20 milhões de dólares (17 milhões de euros) a um responsável da Sonangol.

Todos de nacionalidade alemã, Joerg Blumberg, Dirk Juergensen e Marc Schweiger foram então condenados a 20 meses de prisão, com pena suspensa durante dois anos, e ao pagamento de 20 mil libras (22,3 mil euros), além de terem perdido a capacidade de assumirem cargos de administradores durante cinco anos.

Relacionadas

Exclusivos