Detidas três pessoas no âmbito da operação "Arroz do Povo"

Três pessoas foram detidas na Guiné-Bissau no âmbito da operação "Arroz do Povo", que levou à apreensão de mais de 100 toneladas de arroz doado pela China, anunciou hoje a Polícia Judiciária.

"Foram detidas três pessoas em Bafatá. Há mais suspeitos em fuga", afirmou, em conferência de imprensa em Bissau, Fernando Jorge, inspetor coordenador da Polícia Judiciária guineense. Segundo o inspetor, a PJ já apreendeu 2.731 sacos de 50 quilogramas de arroz, bem como um camião e uma outra viatura.

"Todas as pessoas implicadas vão ser responsabilizadas", salientou o inspetor daquela força de investigação criminal guineense. Fernando Jorge explicou também que o arroz doado pela China estava a ser mudado de saco e a ser vendido no mercado.

"O referido arroz que não é para fins comerciais estava a ser comercializado a 15.000 francos cfa [cerca de 22 euros, cada saco de 50 quilogramas] e a ser revendido a 17.000 francos cfa [cerca de 29 euros] e foi por essa razão que a Polícia Judiciária interveio", salientou.

"Só queremos mostrar a nossa determinação e dizer que esta investigação vai até ao fim. A China doou 104 contentores de arroz e agora vamos perceber a dinâmica de distribuição desse arroz", disse.

Relacionadas

Exclusivos