Adolescente rouba cartão bancário aos pais para encomendar as suas mortes

Alyssa Hatcher

Alyssa Hatcher enfrenta sérias acusações depois de roubar cerca de 1500 dólares norte-americanos à mãe e padrasto para contratar alguém para os matar. O esquema fracassou.

Uma adolescente de 17 anos, residente na Flórida, EUA, enfrenta graves acusações depois de ter roubado o cartão bancário dos pais para, alegadamente, usar o dinheiro para pagar a duas pessoas para assassiná-los, revelaram as autoridades do Condado de Lake. A jovem enfrenta uma pena de prisão que pode ir até aos 30 anos.

Na passada terça-feira, Alyssa Hatcher, de 17 anos, natural de Umatilla, no centro da Flórida, foi presa e acusada de solicitação criminal para matar os seus pais, tendo sido entregue ao Departamento de Justiça Juvenil. A jovem

As autoridades descobriram o plano de Hatcher quando uma estudante da Umatilla High School disse a um ao Lake County Sheriff que Hatcher havia dado a uma amiga "muito dinheiro" para encontrar alguém para matar os seus pais.

Os investigadores descobriram rapidamente que Hatcher roubou o cartão de débito de seus pais e fez duas transações - uma no valor de 503 dólares e outra de 926 dólares -, "posteriormente identificadas como sendo dinheiro dado a dois indivíduos diferentes para matar os pais", referem as autoridades.

O namorado de Hatcher também relevou à polícia que tinha visto a jovem na manhã de segunda-feira numa "farmácia conhecida", onde ela terá afirmado que queria assassinar a sua mãe e padrasto. Durante um interrogatório gravado ainda em sua casa, Hatcher terá, alegadamente, admitido toda a trama, refere a polícia do Condado de Lake.

Hatcher revelou ainda às autoridades que, do dinheiro roubado aos pais, ela ainda usou 100 dólares para comprar cocaína e 400 dólares a um rapaz que seria o responsável por encontrar os dois assassinos, alega o documento revelado pela polícia, mas vendo que a primeira tentativa para assassinar os pais não surtiu efeito, Hatcher terá dado os remanescentes 900 dólares a um homem desconhecido para ele matar os pais".

Os pais - que não foram identificados publicamente na declaração policial -, ao saber da intenção da filha, resolveram continuar com as acusações, não mostrando qualquer arrependimento.

A polícia ainda não descobriu o motivo para a suposta conspiração de assassinato. O sargento do Condado de Lake, Fred Jones, disse à emissora local WFTV que os pais de Hatcher "são pessoas boas, cidadãos excelentes". "Quando se trata de algo assim, não consigo imaginar o choque que é uns pais saberem que a filha os quer matar. É um caso triste."

Alyssa Hatcher, que gostava de futebol, passou parte do ensino médio na claque da escola, conforme mostrava a sua conta no Instagram, encerrada nas últimas horas.

Em junho, a adolescente publicou uma foto com a legenda "implacável". Noutra publicação, escreveu: "O fundo do poço tornou-se a base sólida sobre a qual reconstruí a minha vida".

Relacionadas

Exclusivos