Premium Académico Federico Varese denuncia uso de tríades de Hong Kong contra ativistas

Mafia Life – Como é a vida, o amor e a morte no seio do crime organizado?

As autoridades de Hong Kong utilizaram as Tríades contra o movimento estudantil pró-democracia, em 2014, disse à Lusa o criminologista Federico Varese, autor do livro "Mafia Life".

"Eu estava em Hong Kong e, para mim, foi um choque verificar os ataques das Tríades contra os estudantes, sobretudo em Mong Kok. Tratou-se de um caso em que as autoridades usaram o crime organizado para atacar um movimento político e social, tal como aconteceu em Itália [no final da II Guerra Mundial]", disse à Lusa Federico Varese.

No dia 26 de setembro de 2014, várias centenas de jovens começaram a manifestar-se em Hong Kong para exigir a eleição por sufrágio direto e universal direto do chefe da Região Administrativa Especial de Hong Kong.

O movimento "Occupy Central", conhecido mais tarde como "Umbrella Movement", mobilizou milhares de jovens em protesto contra as autoridades controladas pela República Popular da China que, segundo a investigação de Varese, também usou os grupos de crime organizado, nomeadamente a 14K.

"O que verificamos é que membros das Tríades de Hong Kong atacaram o movimento social dos estudantes de uma forma que a polícia não podia fazer, porque politicamente seria explosivo. Esperavam que os ataques fizessem recuar os estudantes das manifestações", diz Varese que investigou os acontecimentos em Mong Kok, na zona dos Novos Territórios.

"O que para mim foi maravilhoso foi verificar o poder dos jovens estudantes que lutavam pela democracia ao derrotarem os atacantes e a manterem posições no terreno. Foi muito comovente para mim entrevistar os líderes estudantis que relataram os ataques. Muitos dos manifestantes eram raparigas de 16 ou 17 anos, que foram firmes contra o crime organizado pela defesa dos princípios democráticos básicos de uma pessoa um voto. Foi muito inspirador", recorda Federico Varese.

No livro "Mafia Life", o autor aborda também a presença da 14K em Macau recordando a detenção, ainda no período da administração portuguesa do território, de Pang Nga Koi, que chegou a mandar realizar uma longa-metragem autobiográfica que ainda circula no mercado de DVD.

Varese recorda que Pang Nga Koi cumpriu 13 anos e sete meses de prisão, tendo sido libertado no dia 01 de dezembro de 2012, na atual Região Administrativa Especial de Macau.

""Dente Partido" [alcunha de Pang Nga Koi] reside, presentemente, num anódino arranha-céus, situado no bairro macaense da Taipa, os seus vizinhos são funcionários governamentais de meia-idade, académicos e empresários de relativo sucesso. É ele próprio que abre a porta do apartamento quando alguém bate. Não há guarda-costas à vista", escreve o autor do livro.

"Mafia Life - Como é a vida, o amor e a morte no seio do crime organizado?", de Federico Varese (Edições Desassossego, 298 páginas), inclui um glossário e tabelas sobre regras e estruturas de comando das várias máfias.

Exclusivos