Há dois mil milhões de pessoas sem acesso a água potável. "O mundo precisa de políticos corajosos e com coração"

Catarina Albuquerque

Catarina Albuquerque

  |  Orlando Almeida/Global Imagens

A relatora da ONU para o direito à água defende que são precisas políticas públicas para garantir o acesso à água potável para aqueles que têm sido mais negligenciados.

Catarina Albuquerque, relatora da ONU para o direito à água, admite que vamos ter no ano novo "uma continuação de 2019, em que mais de dois mil milhões de pessoas em todo o mundo não têm acesso à água potável". E é esta realidade que "vai ter de mudar na próxima década, para que se cumpra a promessa dos objetivos de desenvolvimento sustentável de chegar a 2030 com toda a gente à face da terra com acesso a água potável e a condições dignas de saneamento".

A relatora das Nações Unidas sublinha também que "mais de quatro mil milhões de pessoas, metade da população mundial, não tem acesso a condições de saneamento dignas, saudáveis e seguras".

Leia mais em TSF

Relacionadas

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG