Governo nega perseguição à comunidade islâmica

Estado assegura e protege todas as igrejas que desenvolvem actividades nos termos da Lei!

Estado assegura e protege todas as igrejas que desenvolvem actividades nos termos da Lei!

  |  DR

As autoridades da Lunda-Norte negam, ontem, que o Estado tenha impedido a realização de cultos ou perseguido a comunidade islâmica.

Em conferência de imprensa, no Dundo, o delegado provincial da Justiça e dos Direitos Humanos, Baptista Miguel, esclareceu que à semelhança de outras denominações religiosas não reconhecidas pelo Estado angolano, foram encerradas em Novembro de 2018, quatro mesquitas da comunidade islâmica implantadas na Lunda-Norte, no âmbito da "Operação Resgate".

Baptista Miguel, que é, também, membro da Comissão Provincial da "Operação Resgate", afirmou que as informações postas a circular pela imprensa estrangeira e retomadas pelas redes sociais sobre eventual perseguição à comunidade islâmica não corresponde a verdade.

Leia mais em Jornal de Angola.

Relacionadas

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG