Frei angolano é doutor e faz história em Roma

Padre angolano com o júri que analisou a tese de doutoramento

Padre angolano com o júri que analisou a tese de doutoramento

A tese foi sobre "Os acordos entre a Santa Sé e os Países africanos e Organizações do continente: implicações jurídicas e políticas"

O sacerdote angolano Frei Adão Maximiano obteve nota máxima do júri da Universidade Pontifícia Lateranense pela sua tese de doutoramento em Direito Civil e Canónico sobre "Os acordos entre a Santa Sé e os Países africanos e Organizações do continente: implicações jurídicas e políticas".

A dissertação, defendida recentemente, teve classificação "summa cum laude" (com os maiores elogios), e foi a primeira na história da Universidade Pontifícia Lateranense a tratar um tema ligado aos acordos entre a Santa Sé e os Países africanos e suas Organizações, segundo o corpo de júri.

A obra, de mais de 360 páginas, foi uma investigação de três anos e meio, e teve como ponto de partida os interrogativos em torno da abundante actividade concordatária, durante o pontificado de João Paulo II e dos seus sucessores no mundo, especialmente no continente africano, segundo o religioso, membro da Ordem dos Frades Menores Capuchinhos (OFM Cap).
A partir desta perspectiva, sublinha, a Santa Sé assinou um Acordo de Cooperação com a Organização da Unidade Africana (OUA) a 19 de Outubro de 2000, hoje União Africana (UA), mais de 18 acordos com vários países africanos.

Leia mais em Jornal de Angola

Relacionadas

Exclusivos