Empresas alemãs são suspeitas de usar mão de obra de minorias perseguidas na China

Operários caminham ao lado de cerca de arame farpado de um centro de internação de minorias chinesas

Operários caminham ao lado de cerca de arame farpado de um centro de internação de minorias chinesas em Dabancheng, na província de Xinjiang

  |  Thomas Peter/Reuters

Indústrias alemãs produzem em área onde muçulmanos são confinados em campos.

O vazamento de arquivos oficiais da ditadura chinesa sobre o confinamento de membros de minorias étnicas muçulmanas em campos de concentração em Xinjiang lançou críticas e questionamentos sobre a atuação de gigantes da indústria alemã, como Volkswagen, Siemens e Basf, nessa região do oeste da China.

Leia mais em Folha de S.Paulo.

Relacionadas

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG