Atrasos do SEF põem em risco imigrantes

Atrasos do SEF põem em risco imigrantes

Estrangeiros em risco de ficar ilegais obrigados a efetuar grandes viagens para renovar vistos.

O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) está a agendar marcações para renovar vistos para o próximo ano. O agendamento passou a ser centralizado numa plataforma online para diminuir a lista de espera. Há estrangeiros em risco de ilegalidade ou obrigados a fazer deslocações de centenas de quilómetros para renovar os vistos.

É o caso de Castelo Branco onde não há vagas para atendimento até março do próximo ano. A plataforma do SEF indica que o atendimento mais breve poderá ser efetuado no Funchal ou em Faro. Muitos dos estrangeiros que trabalham em Portugal ou estudantes que acabaram de chegar queixam-se de que não têm meios financeiros para efetuar tais viagens.

Os estrangeiros que entram em Portugal têm de possuir um visto, seja para fins de estudo, curta duração ou trabalho. Este visto precisa de ser prolongado pelo SEF, que concede a autorização de residência (AR).

"Os vistos, quando se sai do Brasil, têm uma duração de 90-120 dias. Depois disso, deve-se solicitar a AR aqui em Portugal. E é nesse ponto que estão ocorrendo atrasos. Pois quem teve seu visto emitido em agosto, por exemplo, está com ele por expirar em novembro ou dezembro. E está conseguindo marcar a deslocação ao SEF apenas para março", explica Fábio Giacomelli, doutorando na Universidade da Beira Interior (UBI), na Covilhã, e um dos responsáveis de um blogue que esclarece dúvidas dos brasileiros sobre a permanência em Portugal. "Temos recebido imensas preocupações por causa da forma como o SEF passou a funcionar".

Leia mais em: Jornal de Notícias

Relacionadas

Exclusivos