Angola custeou o repatriamento espontâneo dos refugiados da RDC sem apoio do ACNUR

Congoleses ligados ao garimpo ilegal de diamantes em Angola, e forçados a deixarem este país, percorrem

Congoleses ligados ao garimpo ilegal de diamantes em Angola, e forçados a deixarem este país, percorrem uma estrada da RDCongo na região fronteiriça entre os dois países

O repatriamento dos 14. 724 refugiados de um total de 16.177, que viviam no assentamento do Lôvua, no Dundo, foi totalmente suportado pelas autoridades angolanas

A informação foi prestada pelo ministro da Defesa Nacional, Salviano de Jesus Sequeira "Kianda", que falava durante a abertura da reunião da Comissão Multissectorial de Assistência às Populações Refugiadas do então conflito da RDC.


Segundo Sequeira "Kianda" o Alto-Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) não prestou qualquer apoio aos refugiados do Congo Kinshasa, cabendo tal empreitada ao Governo angolano, que cumpriu com as normas universais de promoção e protecção dos Direitos Humanos.

Leia mais em Jornal de Angola

Relacionadas

Exclusivos