"Ainda há tempo". Sindicato desafia patrões a aceitarem acordo com governo

Francisco São Bento, presidente do Sindicato dos Motoristas de Matérias Perigosas

Francisco São Bento, presidente do Sindicato dos Motoristas de Matérias Perigosas

  |  TIAGO PETINGA/LUSA

O Sindicato dos Motoristas de Matérias Perigosas volta a desafiar os patrões a aceitarem o compromisso que fecharam com o governo. "Ainda há tempo", garante. Pela Antram, o advogado André Matias de Almeida diz: "Levantem a greve e aceitamos a mediação [do governo]"

Num momento em que a Antram se mostrou aberta à mediação do governo no conflito com os motoristas de matérias perigosas, o sindicato que representa o setor desafia os patrões a aceitarem o compromisso que fechou com o executivo.

O presidente do Sindicato, Francisco São Bento, em comunicado, sublinha "o esforço negocial do governo" e revela que na maratona negocial que durou 10 horas foi fechado um acordo que abre mão do desdobramento para 2021 e 2022. A proposta, garante o responsável sindical, centra-se num plano de ganhos inferior a 900 euros de salário base.

Leia mais em: Diário de Notícias

Relacionadas

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG