A China vai ter 62 milhões de crianças obesas em 2030

A China vai ter 62 milhões de crianças obesas em 2030

REUTERS

A China, África do Sul, Estados Unidos e Brasil são alguns dos países que registarão maiores subidas na obesidade infantil até 2030. A comida de plástico é a principal causa

Daqui a pouco mais que uma década, o mundo terá 250 milhões de crianças e adolescentes obesos, ou seja, mais 100 milhões dos que os atuais, pode ler-se no relatório da Federação Mundial da Obesidade (WOF), hoje divulgado.

A República Popular da China vai atingir o número impressionante de 61,9 milhões de crianças e adolescentes dos 5 aos 19 anos com obesidade em 2030. Numa população de 1,3 mil milhões de pessoas, significa que quase 5% da população chinesa vai sofrer da doença do peso a mais. A África do Sul é outro dos países que registará maiores subidas neste capítulo, com a previsão de 4,1 milhões de crianças e adolescentes obesos em 2030, o que representará 7% da população (56,7 milhões de habitantes em dados de 2017).

A Índia, outro país que é quase um continente, vai atingir o patamar de 27,4 milhões de crianças obesas. Os Estados Unidos, 16,9 milhões, e o Brasil, 7,6 milhões. A Venezuela, 1,6 milhões. Segundo o relatório, a comida de plástico e a falta de políticas governamentais para combater o marketing alimentar de "junk food" são algumas das principais causas. 70% dos países não têm essas políticas.

Atualmente, a taxa de obesidade para as crianças dos 5-9 na China é de 32% (quando o limite máximo seria 20%) e de 28.2% na África do Sul. Nas crianças dos 10 aos 19 é de 27,1% na África do Sul, de 24,2% nos Estados Unidos; e 21,8% na China.

No mundo da lusofonia, apenas Portugal e o Brasil atingem taxas elevadas de obesidade infantil em 2030. Veja a lista:

Angola

Em Angola, a percentagem de crianças com excesso de peso é de apenas 3,4%. O risco de obesidade é de 4 em 11. Em 2030 Angola deverá ter 956,345 crianças e adolescentes dos 5 aos 19 com obesidade. Serão 9,1% das crianças dos 5 aos 9 com obesidade e 6,2% dos adolescentes dos 10 aos 19 com obesidade. Em Angola não há políticas a combater o marketing alimentar nem para reduzir a inatividade física ou a dieta pouco saudável.

Brasil

O risco de obesidade infantil é de 8 em 11. Último levantamento refere 6.4% de crianças com excesso de peso. Em 2030, terá 22.8% de crianças dos 5 ao 9 a sofrerem de obesidade, percentagem que desce para 15.7% no grupo etário dos 10 aos 19. Em 2020 haverá 7,6 milhões de crianças brasileiras com obesidade. O Brasil tem políticas relativas ao marketing alimentar para crianças e para encorajar o exercício físico e dietas saudáveis.

Cabo Verde

O perigo de obesidade infantil entre as crianças e adolescentes cabo verdeanos é de 6 em 11. Haverá 9,2% de crianças dos 5 aos 9 com obesidade, sendo de 6,1% nos adolescentes dos 10 aos 19. No conjunto 9,3 milhões de crianças e adolescentes cabo verdeanos obesos em 2030. O governo tem políticas sobre o marketing alimentar para crianças e para promoção da atividade física.

Guiné- Bissau

Risco de obesidade infantil é de 3,5 em 11. Há 2,3% de crianças com excesso de peso. Em 2030, 8,3% das crianças dos 5 aos 9 terá obesidade, sendo 5,4% na faixa etária dos 10 aos 19. Em 2030 haverá 54,739 crianças obesas. Não há políticas de combate ao marketing alimentar nem de promoção do exercício físico.

Moçambique

O risco de obesidade intantil é de 4 em 11. Havia 7,8% de crianças obesas no último levantamento. Em 2030 haverá 7,3% de crianças dos 5 aos 9 com obesidade e 4,5% de adolescentes dos 10 aos 19. Em 2030 haverá 795,268 crianças moçambicanas dos 5 aos 19 com obesidade. O governo não tem políticas sobre o marketing alimentar para crianças mas promove o exercício físico e a dieta saudável.

Portugal

O risco de obesidade intantil é de 7,5 em 11. Tinha 15% de rapazes dos 5 aos 9 com obesidade e 14,4% de raparigas na mesma faixa etária. Dos 10 aos 19 havia 8,7% de rapazes obesos e 8,2% de raparigas com o mesmo problema nessa faixa etária. Em 2030 haverá 17,6% de crianças dos 5 aos 9 com obesidade e 11% nos 10 aos 19. O país terá 170,231 crianças e adolescentes com obesidade em 2030.

Timor - Leste

O risco de obesidade infantil é de 3.5 em 11%. No último levantamento havia 1,4% de crianças timorenses com excesso de peso. Em 2030 haverá 14,7% de crianças dos 5 aos 9 com obesidade sendo de 10% na faixa etária dos 10 aos 19. A previsão é de 71,788 crianças com obesidade em 2030. Não tem políticas de marketing na alimentação intantil mas promove políticas de promoção do exercício físico e das dietas saudáveis.

Relacionadas

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG