YouTube fecha mais de 200 contas ligadas a desinformação

O porta-voz afirmou que foram lançadas bombas incendiárias de fabrico artesanal contra a polícia

O porta-voz afirmou que foram lançadas bombas incendiárias de fabrico artesanal contra a polícia

  |  Reuters

O Google fechou 210 canais no YouTube que, segundo o gigante tecnológico, faziam parte de uma tentativa "coordenada" de publicar material sobre os protestos em Hong Kong, noticiou esta madrugada a BBC.

Segundo a BBC, a empresa disse que foram feitas tentativas para "disfarçar a origem dessas contas e outras atividades normalmente associadas a operações coordenadas de influência". Esta tomada de posição do Google surge na sequência de ação similar tomada pelo Twitter e pelo Facebook no início desta semana.

No entanto, ao contrário dessas empresas, o Google não chegou a afirmar explicitamente que acreditava que o governo chinês estivesse por trás das contas agora fechadas, escudando-se a dar detalhes sobre a natureza ou motivação do material que retirou da sua plataforma.

"No início desta semana", referiu um porta-voz da empresa, "como parte de nossos esforços contínuos para combater operações de influência coordenadas, desativámos 210 canais no YouTube quando descobrimos que os canais dessa rede se comportavam de maneira coordenada ao enviar vídeos relacionados com os protestos em curso em Hong Kong". "Esta descoberta foi consistente com as recentes observações e ações relacionadas à China anunciadas pelo Facebook e Twitter", afirmou a mesma fonte, citada pela BBC.

Relacionadas

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG