Venezuela perde direito a voto na ONU

Contribuições em atraso para a ONU colocam em risco direito de voto de São Tomé e Príncipe.

Contribuições em atraso para a ONU colocam em risco direito de voto de São Tomé e Príncipe.

  |  Nuno Veiga/Lusa

A Organização das Nações Unidas (ONU) anunciou que a Venezuela e outros seis países perderam seu direito a voto em 2020 por causa de dívidas relativas a suas contribuições para a entidade.

A lista também inclui Gâmbia, Lesoto e República Centro-Africana, na África; Tonga, na Oceania; e Iêmen e Líbano, no Oriente Médio. O porta-voz da ONU, Stéphane Dujarric, disse que outros três países - Comoros, São Tomé e Príncipe e Somália, todos na África - também estão em atraso, mas manterão o direito a voto até setembro.

O ministro venezuelano das Relações Exteriores, Jorge Arreaza, pediu para a ONU voltar atrás na decisão e disse que o atraso nas contribuições do país se deve às sanções impostas pelos Estados Unidos.

Leia mais em ISTOÉ

Relacionadas

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG