"Portugal é um dos países que mais pode sofrer com o Brexit"

DN e TSF promoveram esta quarta-feira uma tertúlia subordinada ao tema "Brexit, que Brexit?"

Todas as notícias podiam ter uma banda sonora. E a de que amanhã, dia 31 de outubro, não haverá Brexit podia muito bem ser acompanhada pelo tema É P'ra Amanhã de António Variações, faz notar o jornalista e diretor-adjunto da TSF Ricardo Alexandre, passando o tema no início de uma tertúlia DN-TSF dedicada ao Brexit, que esta quarta-feira decorreu na Universidade Católica, em Lisboa, com cobertura jornalística nos sites de ambos os órgãos de comunicação e transmissão na rádio durante a tarde.

A pergunta que se impõe, desde logo, é porque é que o Reino Unido, afinal, nunca mais sai da União Europeia? "Este processo de desintegração [apesar de estar previsto nos tratados a saída de um Estado membro] é mais difícil do que se previa. Estamos num processo de separação que, como todos os processos de separação, é longo. Como nos divórcios, as coisas levam mais tempo do que no casamento, o processo de união. Há aqui uma questão que é específica do Reino Unido e que é o calcanhar de Aquiles deste processo, que é a fronteira entre a Irlanda e a Irlanda do Norte. Estou convencida que o Brexit vai acontecer, num tempo mais demorado do que aquilo que se poderia prever, do que aquilo que seria desejável", começa por constar Patrícia Fragoso Martins, professora de Direito na Universidade Católica.

Leia mais em Diário de Notícias

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

Relacionadas

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG