Mobilidade e integração da Guiné Equatorial discutidas em Nova Iorque

Mobilidade e integração da Guiné Equatorial discutidas em Nova Iorque

A mobilidade dos cidadãos e o programa de apoio à integração da Guiné Equatorial são os temas a debater pelos chefes da diplomacia lusófona durante uma reunião informal que decorre na próxima terça-feira, à margem da assembleia-geral das Nações Unidas, em Nova Iorque.

Este conselho de ministros informal da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) deverá fixar a data do próximo conselho de ministros extraordinário da organização no qual será debatida a proposta da mobilidade no espaço lusófono, adiantou à Agência Lusa o embaixador de Cabo Verde em Lisboa, país que detém a presidência rotativa do bloco lusófono.

Antes disso, "a próxima reunião da comissão técnica conjunta sobre mobilidade na CPLP, está agendada para 29 e 30 de outubro, em Lisboa", indicou Eurico Monteiro.

Os chefes da diplomacia da CPLP mandataram uma comissão técnica para concluir, até novembro próximo, o modelo final de integração comunitária e mobilidade, o qual deverá ser aprovado pelo conselho de ministros da organização, já no primeiro trimestre de 2020. O documento seguirá depois para aprovação final, no verão, na prevista cimeira de chefes de Estado e de Governo da CPLP, em Angola.

Na próxima terça-feira, os chefes da diplomacia lusófonos também deverão estabelecer algumas orientações para a elaboração do programa de apoio à integração da Guiné Equatorial, país que aderiu à CPLP em 2014.

A entrada da Guiné Equatorial, uma ex-colónia de Espanha, na CPLP, de que já era observador associado, foi um processo polémico porque o Governo de Malabo é acusado de sistemáticas violações de direitos humanos e de desrespeito dos direitos da oposição.

As eleições presidenciais na Guiné-Bissau, a 24 de novembro, e as eleições gerais em Moçambique, a 15 de outubro, e as respetivas missões de observação da CPLP, no primeiro caso liderada por Moçambique e no segundo caso liderada por Angola, são outros dos assuntos propostos para a agenda de conselho de ministros informal em Nova Iorque.

Relacionadas

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG