Premium Ministro brasileiro considera Chico Mendes "irrelevante"

Chico Mendes

Chico Mendes

Vice-presidente Hamilton Mourão e outras figuras da política brasileira já se insurgiram contra as declarações de Ricardo Salles.

O ministro do Meio Ambiente brasileiro considerou ontem, no programa Roda Viva da TV Cultura conduzido pela jornalista Cristina Serra, que Chico Mendes é "irrelevante". Ricardo Salles assumiu que desconhece a história do seringueiro e ativista ambiental, morto em 1988.

A polémica declaração surgiu depois de lhe ter sido questionada a opinião sobre Chico Mendes. "Que diferença faz quem é Chico Mendes neste momento?", começou por questionar.

O político afirmou que somente tem ouvido relatos dispares sobre a vida do defensor da Amazónia, facto reconhecido mundialmente. "Olha, eu não conheço Chico Mendes. Eu tenho um certo cuidado em falar sobre coisas que eu não conheço. Do lado dos ambientalistas, mais ligados à esquerda, há um enaltecimento de Chico Mendes. As pessoas que são do agro, que são da região dizem que o Chico Mendes não era isso que é contado", continuou Salles. "O facto é que é irrelevante", concluiu.

Ricardo Salles explica o que entende por "pessoas que sáo do agro". "Chico Mendes usava os seringueiros para se beneficiar, fazia uma manipulação da opinião", acusa, deixando a entrevistadora

As reações não demoraram a surgir com o Vice-Presidente do Brasil, Hamilton Mourão, a opinar sobre o assunto. "Chico Mendes faz parte da história do Brasil na defesa do meio ambiente. É histórico. Assim como outros vultos passaram na nossa história."

A ex-candidata à presidência do Brasil Marina Silva também criticou Salles acusando o ministro de não ser ambientalista e ser "desinformado" e criticou a "ignorância do ministro".

Em resposta às críticas, Salles usou o Twitter para alfinetar a esquerda. "No campo dos esquerdopatas tudo é pretexto para não trabalhar. Quando disse que não achava relevante ficar discutindo opinião sobre Chico Mendes era justamente para evitar gastar energia com coisas improdutivas..."

Chico Mendes só passou a ser conhecido no Brasil depois de receber o Prémio Global 500 Roll of Honour, concedido pela ONU, pela defesa do meio ambiente. Na altura, o ativista previu que seria assassinado pela luta que estava a travar no Acre. Líder seringueiro, Chico criou o Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Xapuri na década de 1970, quando começou a receber ameaças de morte e ajudou a fundar o PT naquela região.

Exclusivos