Marcelo elogia "a diferença de Macau" e fala de provável regresso já em dezembro

O Presidente da República Portuguesa, Marcelo Rebelo de Sousa, nas Ruínas de São Paulo, em Macau

O Presidente da República Portuguesa, Marcelo Rebelo de Sousa, nas Ruínas de São Paulo, em Macau

  |  Gonçalo Lobo Pinheiro

O Presidente português, Marcelo Rebelo de Sousa, elogiou "a diferença de Macau", último ponto da sua visita de Estado à República Popular da China, e já fala na "próxima visita" ao território, possivelmente em dezembro. O chefe de Estado, começou o dia no centro histórico da cidade, com uma passagem pela Santa Casa da Misericórdia, onde deixou a promessa de visitar "todas" as outras instituições macaenses "na próxima visita".

No passeio a pé que o levou até um dos ex-libris da cidade, as Ruínas de São Paulo, Marcelo referiu que o Presidente chinês, Xi Jinping, "vem cá em dezembro" para as celebrações dos 20 anos da transferência do exercício da soberania de Macau de Portugal para a China, e adiantou: "Provavelmente eu também virei, veremos".

"Dezembro pode ser um bom pretexto, por causa dos 20 anos. É evidente que a própria República Popular da China entende como naturalíssimo que Portugal esteja representado ao mais alto nível na celebração dos 20 anos. Foi assim que aconteceu há 20 anos, é assim que acontece agora", acrescentou, mais à frente.

Ao longo do percurso, o Presidente português elogiou diversas vezes "a diferença de Macau", onde não vinha há 31 anos, e disse ter falado desse tema com Xi Jinping. "Ele falava nisso mesmo, e falávamos nisso mesmo: o que faz a diferença é o que dá valor, e Macau é diferente".

"Quando se é igual a tudo o resto, o que é maior esmaga o que é mais pequeno. E a diferença significa o quê? Um cruzamento de culturas, de línguas, de tradições, de usos, de gastronomia, é essa a riqueza de Macau, e por isso aqui vem tanta gente e admira essa diferença de Macau, que tem de continuar, na presença da língua portuguesa", defendeu.

Junto às Ruínas de São Paulo a comunicação social local perguntou-lhe o que vai resultar desta curta passagem pela região. "Vai resultar em mais visitas. Quer dizer, eu não tenciono vir aqui despedir-me de Macau. Eu venho aqui para dizer a Macau até logo", respondeu.

Relacionadas

Exclusivos