Lula se refere a Bolsonaro como miliciano, pede perícia no caso Marielle e diz estar de volta para lutar

O ex-presidente Lula, em sindicato do ABC

O ex-presidente Lula, em sindicato do ABC

  |  Nacho Doce/Reuters

Ainda ficha-suja, ex-presidente foi solto após Supremo vetar prisão de condenados antes do fim de recursos.

Ao retornar neste sábado (9) ao reduto de origem do PT, a região do ABC Paulista, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, 74, fez mais um duro discurso contra os procuradores da Lava Jato de Curitiba, o ex-juiz Sergio Moro e o presidente Jair Bolsonaro (PSL).

"Eu estou de volta", disse, sob aplausos de militantes. "Estou com mais coragem de lutar do que quando eu sai daqui." Na reta final da fala de 45 minutos, pediu resistência, luta e união da esquerda e já preparou o clima para as eleições de 2022: "A esquerda vai derrotar a ultradireta que nós tanto queremos derrotar".

Leia mais em Folha de S. Paulo

Relacionadas

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG