Investigação contraria Costa. Há suspeita de terrorismo e crime organizado

António Costa responde nesta segunda-feira a perguntas dos cidadãos

António Costa responde nesta segunda-feira a perguntas dos cidadãos

O Ministério Público (MP) está a investigar suspeitas de criminalidade organizada e terrorismo no caso do furto aos paióis, mas o primeiro-ministro disse que "esse cenário não se coloca", alegando informações das "autoridades nacionais".

"Esse cenário felizmente não se coloca porque logo no dia a seguir à constatação do furto, as autoridades nacionais e, em particular, a secretária-geral do Sistema de Segurança Interna, reuniram a Unidade de Coordenação Antiterrorista que identificou que o furto nada tinha que ver com qualquer ligação a criminalidade organizada, muito menos a atividade de terrorismo", afirmou o primeiro-ministro na sessão pública sobre os três anos do governo.

António Costa respondia a uma longa pergunta (pode ser vista aqui, ao minuto 104) de um estudante de Relações Internacionais, que queria saber se o roubo do material militar de Tancos e o facto de ainda haver material que não foi recuperado (munições, granadas e explosivos) não poderia levar a que Portugal pudesse ser visto "como um país facilitador de movimentos terroristas", tendo em conta que a ONU já alertou para o facto de "a má gestão de paióis nacionais alimenta diretamente o crime organizado e o terrorismo, através do comércio ilícito de armas e munições".

Leia mais em Diário de Notícias.

Relacionadas

Exclusivos