União Africana ameaça aplicar sanções ao Sudão

Numa altura, em que os manifestantes juntam às exigências ao julgamento de todos os antigos principais responsáveis do Sudão, entre eles, Omar al-Bashir, os militares começam a receber a solidariedade internacional de alguns países africanos e árabes, numa resposta ao apelo que lançaram, mas a União Africana ameaça suspender o país, caso no prazo de 15 dias, o poder não seja entregue aos civis.

O Conselho de Paz e Segurança da União Africana exigiu aos militares, que promovam no prazo de 15 dias, a passagem do poder para uma autoridade civil, sob pena de incorrerem em sanções que podem levar à suspensão temporária do Sudão de membro da organização.

Esta posição da União Africana, um verdadeiro ultimato, surge depois de um primeiro comunicado emitido no dia a seguir ao golpe de Estado, em que criticava a forma como os militares chegaram ao poder e que no seu entender, contraria a lei internacional e as disposições da própria organização.

Leia mais em Jornal de Angola.

Relacionadas

Exclusivos