PSD também não aprovará diploma do tempo de serviço sem salvaguardas financeiras

Líder do PSD quebrou este domingo o silêncio sobre a crise política aberta na quinta-feira com aprovação do descongelamento da carreira dos professores

Líder social-democrata diz a Costa que, caso não aceitem as ressalvas propostas à devolução do tempo aos professores, "escusam de fugir do governo", porque o próprio PSD não aprovará o documento no Parlamento.

O líder do PSD, Rui Rio, confirmou nesta tarde que o partido também não votará favoravelmente a versão final do diploma que devolve aos professores nove anos, quatro meses e dois dias de serviço se não forem aceites as salvaguardas financeiras que constavam da sua proposta. Numa declaração sem direito a perguntas, num hotel do Porto, Rio desafiou o PS a aprovar a sua proposta, que considera proteger o país do "papão da orgia orçamental" que acusa o governo de ter criado. Mas disse também que, caso os socialistas mantenham as atuais posições, o documento não passará na votação final no Parlamento.

"Se votarem a favor da proposta do PSD de salvaguarda do equilíbrio financeiro, estaremos todos de acordo. Se não votarem, escusam de fugir do governo porque é o próprio PSD que entende que o diploma final não oferece as garantias de rigor financeiro que sempre defendeu. Fica nas mãos do PS", desafiou, comprometendo-se ainda, perante os professores, a assumir "exatamente o mesmo compromisso" no seu programa eleitoral.

Leia mais em Diário de Notícias

Relacionadas

Exclusivos