Permanência da presidente da PGR é incerta em caso de vitória de Bolsonaro

A procuradora-geral Raquel Dodge

Mandato de Raquel Dodge vence em setembro de 2019; em abril, ela denunciou o candidato ao STF por racismo.

A permanência de Raquel Dodge no comando da PGR (Procuradoria-Geral da República) já não é considerada líquida e certa caso o candidato à Presidência pelo PSL Jair Bolsonaro vença a eleição, segundo a colunista da BandNews FM Mônica Bergamo.
O mandato de Dodge vence em setembro de 2019. O novo presidente pode reconduzi-la, ou não, ao cargo por mais dois anos.
"Os sinais ficaram ainda mais claros porque o próprio Bolsonaro declarou ontem que não necessariamente vai respeitar a lista tríplice formada por eleição direta dos procuradores para definir o próximo procurador-geral", explicou Bergamo.

Leia mais em BAND

Relacionadas

Exclusivos