Líder de grupo terrorista revela plano para matar Bolsonaro

Líder da Sociedade Secreta Silvestre (SSS) concedeu entrevista à revista Veja, onde contou os planos da sua organização para matar o presidente do Brasil.

A revista Veja, do Brasil, fez uma entrevista a um líder terrorista da Sociedade Secreta Silvestre (SSS), braço brasileiro dos Individualistas que Tendem ao Selvagem (ITS), onde este revelou os planos para um atentado contra a vida do presidente brasileiro Jair Bolsonaro.

A entrevista foi feita através de um chat na deep web e Anhangá, como revelou chamar-se o terrorista, contou também que foi ponderado um ataque na cerimónia da posse presidencial, mas que não foi para a frente devido "ao risco enorme", dado que não seria certo se sairiam dali "vivos".

"Um ataque a Jair Bolsonaro será sempre uma possibilidade latente. ITS-México feriu uma senadora mexicana com um livro-bomba, se não estou equivocado. ITS-Chile por pouco não mata o presidente de uma das maiores estatais do país com um pacote-bomba há dois meses, mais ou menos. Estas pessoas do alto escalão não são intocáveis, só é preciso saber das vulnerabilidades. As pessoas pensam que estamos parados, mas estudamos semanalmente nossos alvos, e tentamos sempre adquirir explosivos e armas mais potentes. Se a oportunidade bate em nossa porta Bolsonaro acabará como Luis Donaldo Colosio (político mexicano, morto em atentado em 1994)", confessou o terrorista.

Refira-se que no passado dia 6 de setembro de 2018, Jair Bolsonaro, ainda em campanha para as eleições presidenciais, foi esfaqueado durante um comício, tendo sido posteriormente operado e recuperado sem qualquer tipo de problema.

Relacionadas

Exclusivos