Jorge Bom Jesus quer auditoria externa às contas do Estado

O líder do Movimento de Libertação de São Tomé e Príncipe - Partido Social Democrata (MLSTP - PSD), Jorge Bom Jesus (E), durante uma ação de campanha para as eleições legislativas e autárquicas, em São Tomé, São Tomé e Príncipe, 30 de setembro de 2018.

O primeiro-ministro são-tomense disse hoje que as reservas internacionais do país não chegam para cobrir três meses de importações e anunciou a abertura, para breve, de um concurso externo para auditar as contas do Estado nos últimos quatro anos.

"As reservas líquidas neste momento, em termos de divisas, estão abaixo de três meses de importação, o que é de certo modo inquietante", disse o primeiro-ministro, em declarações aos jornalistas, sublinhando que "a inflação está a subir e pode ultrapassar os sete por cento", cenário "que agrava" a situação do país.

Jorge Bom Jesus, que assumiu o cargo na sequência das eleições legislativas de outubro, lamentou a situação macroeconómica do país, recordando que, por diversas vezes, este ano, missões do Fundo Monetário Internacional (FMI) fizeram a avaliação das contas do Estado e garantiram a sua normalidade.

Defendeu, por isso a contratação, nos próximos três meses, de auditores externos para apurar o real estado das finanças do país.

"As auditorias, os inquéritos, vão ser feitas ao nível interno, mas nós também estamos a formalizar a abertura de concurso para a auditoria externa, que são muito mais credíveis e mais abrangentes. Estamos em sintonia com o Presidente da República, que também exigiu essas auditorias, e com o parlamento, e eu acredito que em menos de 90 dias teremos o resultado do estado da Nação", explicou o governante.

Jorge Bom Jesus garantiu que ainda que o governo vai assegurar o pagamento do 13.º mês aos funcionários públicos, apesar da grave crise financeira que o país atravessa.

"Não encontramos verbas para o pagamento de salário, nos últimos meses recorreu-se ao crédito bancário para esse efeito, nós não fomos por essa via, mas o problema está praticamente resolvido", garantiu Jorge Bom Jesus.

Nas suas primeiras declarações aos jornalistas depois de assumir funções, o primeiro-ministro garantiu que até ao final deste mês vai entregar o programa do Governo ao parlamento e "logo a seguir" a proposta de Orçamento Geral do Estado para 2019.

Relacionadas

Exclusivos