Investidores chineses com "algumas ideias" para fábricas em Portugal, diz Marcelo

O presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa fala aos jornalistas depois da sua participação no Fórum "Faixa e Rota" iniciativa chinesa de investimento em infraestruturas da Ásia à Europa em Pequim, China. 27 de abril de 2019. O presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa encontra-se de 26 de abril a 1 de maio em visita de Estado à República Popular da China. MIGUEL A. LOPES/LUSA

O Presidente da República afirmou que no encontro que manteve em Pequim com investidores chineses em Portugal ouviu "algumas ideias que têm a ver com fábricas, com indústrias, com o tal investimento na economia real" portuguesa. Marcelo Rebelo de Sousa falava aos jornalistas durante uma visita à Cidade Proibida.

"Isso é muito importante, porque era um dos objetivos deste contacto, era não ser apenas haver a compra de posições em empresas portuguesas, maiores ou menores, era instalar novas entidades produtivas. Sentiu-se que havia uma apetência, uma vontade de fazer isso. Isso é muito bom", acrescentou.

"Desafiei cada qual a dizer como é que via a situação e que projetos tinha para o futuro. E todos falaram à vontade em frente de todos. Isto normalmente no mundo dos negócios não é habitual, que é dizer: olhe, eu tenho este projeto, eu tenciono fazer isto, eu estou a fazer aquilo. E havia algumas ideias", relatou.

Segundo o chefe de Estado, "o juízo unânime" dos altos dirigentes de grupos chineses presentes - entre os quais da China Three Gorges, State Grid, Fosun e Haitong - foi "muito positivo sobre a experiência em Portugal" e não houve queixas.

"De uma maneira geral, pensam que a economia portuguesa soube ultrapassar a fase crítica e entrar numa velocidade de cruzeiro que é importante para investidores. Por outro lado, estão muito empenhados em manter a presença e alargá-la a terceiros países. Quer dizer, em conjunto com Portugal estar presentes em países de língua oficial portuguesa", referiu.

A lista de participantes neste encontro incluiu também dirigentes ao mais alto nível da empresa chinesa do setor da água Beijing Enterprises Water Group, do grupo agroalimentar COFCO e da Sociedade de Turismo e Diversões de Macau (STDM), fundada por Stanley Ho, do Banco da China, da empresa de construção CSCEC e da Tianjin EV Energies.

Marcelo Rebelo de Sousa chegou na sexta-feira à República Popular da China, para participar no fórum "Faixa e Rota", iniciativa chinesa de investimento em infraestruturas da Ásia à Europa, em que interveio no sábado, em Pequim, e depois para uma visita de Estado, entre segunda e quarta-feira, que termina em Macau.

Relacionadas

Exclusivos