Ho Iat Seng promote intensificação de laços entre Macau e Lusofonia

Presidente da Assembleia Legislativa anunciou candidatura a Chefe do Executivo de Macau com promessa de mudanças, maior coragem e inteligência na liderança. Ho Iat Seng sublinha aposta na Lusofonia e Economia Azul.

O anúncio era aguardado há várias semanas, mas só se concretizou esta manhã, numa conferência de imprensa em que Ho Iat Seng divulgou o manifestou com que se apresenta na corrida ao cargo de líder do Governo da Região Administrativa Especial de Macau. Na conferência de imprensa que se seguiu ao anúncio, Ho elogiou o papel da comunidade portuguesa de Macau como parte inseparável a comunidade local e salientou a importância de haver um reforço da cooperação entre Macau, China e Países de Língua Portuguesa (PLP), tendo como pano de fundo a Iniciativa Faixa e Rota e uma aposta na economia marítima.

Numa resposta a uma pergunta do PLATAFORMA, Ho começou por realçar os resultados obtidos por Macau desde o estabelecimento do Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os PLP, para depois defender que é necessária uma intensificação desta dinâmica.

Ho frisou que a cooperação tem de ser feita nos dois sentidos e salientou a "época dourada" no relacionamento entre Portugal e a China.

"Os países de língua portuguesa possuem muitos recursos, que podem e devem ser aproveitados, mas também é preciso intensificar a cooperação bilateral ou multilateral", explicou.

O próximo Governo de Macau deve intensificar o desenvolvimento destas relações, defendeu, até porque, o território tem a vantagem de viver sob o princípio "um país, dois sistemas".

O papel da comunidade portuguesa também foi realçado. "O Governo de Macau tem reconhecido a importância e a convergência" da comunidade portuguesa e como a sua cultura é "parte importante (...) e incontornável" no território, numa conferência de imprensa para apresentar formalmente a candidatura às eleições agendadas para 25 de agosto.

O manifesto tem como desígnio "sinergias e avanço, mudanças e inovação", com o compromisso de assumir "um novo papel, uma nova responsabilidade e uma nova ação". Nesse sentido Ho Iat Seng prometeu hoje mudanças, maior coragem e inteligência na liderança do território, caso seja eleito na eleição marcada para 25 de agosto.

"Continuarei a ultrapassar, com maior coragem e inteligência, as dificuldades que vão surgindo no caminho para o desenvolvimento de Macau", afiançou.

Ho, que anunciou ainda a renúncia ao cargo de deputado e presidente da Assembleia Legislativa (AL), bem como da nacionalidade portuguesa, requisito que afirmou ser necessário para ser candidato.

Ho afirmou que iria mais tarde apresentar o programa político e escusou-se a responder a várias questões específicas dos jornalistas sobre as prioridades da sua candidatura. Medidas que planeia tomar.

Em traços gerais comprometeu-se a salvaguardar a autonomia do território, cumprir a Lei Básica, defender o princípio "um país, dois sistemas", mas prosseguir a integração na China.

"Exercerei as funções e a governação no estrito cumprimento da Constituição e da Lei Básica, prosseguindo cabal e rigorosamente os princípios de "um país, dois sistemas", "Macau governada pelas suas gentes" e "alto grau de autonomia"", afirmou numa conferência de imprensa para anunciar formalmente a candidatura.

O Chefe do Executivo de Macau é eleito pela Comissão Eleitoral do Chefe do Executivo (CECE), composta por 400 membros provenientes de quatro setores da sociedade, sendo depois nomeado pelo Governo de Pequim, de acordo com a Lei Básica da RAEM, e a respetiva lei eleitoral.

Relacionadas

Exclusivos