Em pânico, diplomatas em NY temem que Eduardo Bolsonaro se torne 'bedel'

No Itamaraty, reações à indicação de filho de presidente para ser embaixador nos EUA variaram da descrença à chacota.

Na missão do Brasil junto à ONU, em Nova York, diplomatas receberam com preocupação beirando o pânico a virtual nomeação de Eduardo Bolsonaro como embaixador em Washington.

A avaliação é que, devido à sua força política, Eduardo deverá teleguiar as decisões relativas às Nações Unidas. Historicamente, as representações em Washington e Nova York operam com autonomia e até certa rivalidade.

Leia mais em Folha de S. Paulo

Relacionadas

Exclusivos