Brexit, Itália e... tweets de Trump. Três "riscos desnecessários" para Centeno

Mário Centeno, Ministro das Finanças e Presidente do Eurogrupo

Mário Centeno faz o balanço de um ano como presidente do Eurogrupo, reconhecendo que até ao fim do mandato "dificilmente" haverá acordo sobre a proteção europeia de depósitos.

"O Brexit, a situação orçamental italiana e as decisões ao som de tweets da administração americana": são três os riscos "desnecessários" que Mário Centeno lamenta na hora de fazer as contas ao primeiro ano como coordenador dos ministros das Finanças da Zona Euro.

Em entrevista à TSF e ao Dinheiro Vivo, Mário Centeno afirma que os governos de Itália, Reino Unido e EUA tomaram decisões "com base numa avaliação e em informação que não reflete o contexto em que essas decisões estão a ser tomadas". Por isso, "mais tarde ou mais cedo têm de ser revistas, como aliás temos visto várias vezes com as decisões da administração Trump em termos económicos, comerciais e até orçamentais. E, como foi o ziguezague até chegarmos a um equilíbrio, que agora tem de ser robustecido, na situação italiana", defende o ministro das Finanças.

Leia mais em TSF.

Relacionadas

Exclusivos