Bolsonaro em queda e Lula pode aumentar intenção de voto no PT

Guru da estatística, Paulo Guimarães, fala sobre as intenções de voto

O conceituado estatístico Paulo Guimarães, com quase 30 anos em campanhas eleitorais no Brasil, ao lado de partidos como o Psol e PT ao PSDB e DEM, considera que o ex-presidente Lula da Silva (PT) tem potencial para aumentar entre 20% a 22% as intenções de voto do candidato do PT, seja Fernando Haddad ou Jaques Wagner. Em entrevista ao jornal Valor, Paulo Guimarães salienta também que Jair Bolsonaro (PSL-RJ) está em queda.

"É mais difícil para o Ciro. Não se trata de direita/esquerda. É que, dentro da imagem positiva do Lula, daqueles que simpatizam com ele, quem tem mais voto é o Ciro. Se o Lula participa ativamente da campanha, ele vai tirar de quem tem mais voto ali e transferir para o candidato dele. Temos milhares de pesquisas que comprovam isso. O apoio de uma pessoa transfere 50% dos votos dela para outra, se for para o mesmo cargo. O Lula empresta algo em torno de 20% a 22% para o candidato do PT, seja o Haddad ou Jaques Wagner. Isso com o Lula atuante. O difícil é saber qual o tamanho dessa atuação pela condição que ele se encontra hoje", salientou Paulo Guimarães, falando depois da queda de Jair Bolsonaro.

"As pesquisas mostram que o Bolsonaro já perdeu muitas pessoas que pensaram em votar nele e já não pensam mais. O Bolsonaro vem perdendo 20% dos eleitores a cada mês. Se tem 100 eleitores, perde 20 a cada mês. Mas não tem aparecido nas pesquisas quantitativas porque ele ganha outros 20%. É um movimento que ocorre com todos os candidatos, mas com mais intensidade com quem está na frente. Primeiro vem a onda de votar em alguém, vou votar no Bolsonaro, depois começo a prestar atenção no que ele fala. E aquilo pode não me atrair, desisto e não volto mais a pensar em votar naquele candidato", referiu.

Relacionadas