Ilha da Boa Vista gemina-se com cidade da província de Jiangsu

Ilha da Boa Vista gemina-se com cidade da província de Jiangsu

Presidente do município cabo-verdiano vai assinar acordo com cidade de Rudong no âmbito da MIF.

Macau vai ser palco para um novo instrumento de cooperação entre cidades do universo da lusofonia e da China continental. O PLATAFORMA soube que presidente da câmara municipal da ilha cabo-verdiana da Boa Vista, José Luís Santos, irá assinar um acordo de geminação com a cidade de Rudong, situada em Jiangsu, província continental em destaque na edição da Feira Internacional de Macau (MIF), deste ano. A delegação de Cabo Verde - país convidado da MIF deste ano - é liderada pelo Ministro da Indústria, Comércio e Energia, Alexandre Dias Monteiro, que se desloca à região a convite do Governo da Região Administrativa Especial de Macau (RAEM). A missão do arquipélago lusófono também inclui a Ministra da Educação Maritza Rozabal Peña, que marca presença no evento enquanto convidada da província de Jiangsu.

A delegação cabo-verdiana integra ainda a presidente da agência de comércio e investimento governamental Cabo Verde TradeInvest, Ana Barber, o Diretor-geral do Turismo, Francisco Martins e o presidente da Feira Internacional de Cabo Verde (FIC), Gil Costa, que vem à MIF com o objetivo de promover a FIC deste ano, que tem lugar de 13 a 17 de Novembro, na cidade de Mindelo, ilha de São Vicente. A delegação cabo-verdiana a Macau inclui ainda mais de três dezenas de empresários.

MIF mais sino-lusófona

Além do destaque para Cabo Verde, a MIF aposta este ano novamente na promoção do papel de Macau como plataforma de negócios sino-lusófonos. A Feira é acompanhada pela Exposição de Produtos e Serviços dos Países de Língua Portuguesa (PLPEX), que este ano foi ampliada para albergar 250 expositores num total de 1900 expositores patentes na MIF.

A PLPEX irá contar com uma zona de exposição dos trabalhos da plataforma de cooperação entre a China e os países de língua portuguesa, na sequência de uma decisão aprovada em 2018. Segundo a entidade organizadora da MIF, o Instituto de Promoção do Comércio e do Investimento de Macau (IPIM), a zona da PLPEX vai promover produtos alimentares, bebidas, comércio electrónico, tecnologia informática, produtos de necessidades diárias, artesanato, materiais de construção, artigos desportivos.

Durante o evento serão realizados encontros de agentes e sessões de promoção, entre outras iniciativas, que servem como uma plataforma onde empresas oriundas de todas as partes do mundo possam estabelecer o contacto directo, além de criarem oportunidades de negócios podem divulgar o papel de Macau enquanto "Centro de Distribuição dos Produtos Alimentares dos Países de Língua Portuguesa" e apoiarem os países de língua portuguesa na expansão de negócios para o mercado da China continental.

A par disso, serão organizados na feira diversos fóruns e seminários profissionais, incluindo o "Fórum de Jovens Empresários entre a China e os Países de Língua Portuguesa", por forma a ajudar os empresários destes países a aproveitar as oportunidades de desenvolvimento na Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau e a promover o crescimento da indústria financeira com características próprias de Macau.

Relacionadas

Exclusivos