Guedes quer mudança em regra de militares simultânea à reforma da Previdência

Paulo Guedes, durante a tomada de posse de Jair Bolsonaro

Paulo Guedes, durante a tomada de posse de Jair Bolsonaro

  |  EPA/Joedson Alves

Por causa de uma questão técnica, a inclusão de militares na reforma da Previdência terá que ser feita de por meio de um outro instrumento, mas será simultânea a das mudanças gerais que o governo pretende entregar logo no início do ano Legislativo.

Estas sinalizações foram dadas pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, ao sair de um almoço com investidores em Davos, em um evento paralelo a Fórum Econômico Mundial.

"Há um problema técnico. A PEC (Proposta de Emenda Constitucional) é para quem está previsto que está na Constituição. Os militares têm que ser (por um instrumento) ordinário", explicou Guedes a jornalistas. Perguntado sobre se, nos dois casos, as propostas seriam enviadas de forma conjunta, o ministro respondeu: "Se não for simultâneo, fica estranho".

Leia mais em IstoÉ

Relacionadas

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG