Grupo pró-Guaidó deixa embaixada venezuelana em Brasília

Apoiador de Nicolás Maduro (de vermelho) luta com apoiador de Guaidó ao lado da embaixada da Venezuela

Apoiador de Nicolás Maduro (de vermelho) luta com apoiador de Guaidó ao lado da embaixada da Venezuela em Brasília

  |  Sergio Moraes/Reuters

O grupo de apoiadores do autoproclamado presidente da Venezuela, Juan Guaidó, deixou na tarde desta quarta-feira (13) a sede da embaixada em Brasília. O local ficou tomado pelos apoiadores de Guaidó por mais de 10 horas

O incidente diplomático ofuscou o início da cúpula dos Brics - grupo composto por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul que se reunirá por dois dias na capital federal, tendo o presidente Jair Bolsonaro como anfitrião-. Apesar do governo brasileiro reconhecer Guaidó como presidente venezuelano, a sede diplomática em Brasília é administrada por funcionários do presidente Nicolás Maduro.

A Polícia Militar foi acionada e o incidente ganhou ainda mais repercussão devido às informações desencontradas. Em um primeiro momento, o Itamaraty disse que não estava claro se tratava-se de um invasão ou se uma parte dos diplomatas que representam o governo Maduro haviam desertado. Isso porque o próprio grupo pró-Guaidó disse que os funcionários da embaixada que "abriram as portas voluntariamente".

Leia mais em ISTOÉ

Relacionadas

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG