Gás lacrimogéneo e canhões de água contra manifestação proibida

Gás lacrimogéneo e canhões de água contra manifestação proibida

DR

A polícia disparou gás lacrimogéneo para dispersar manifestantes reunidos em frente à esquadra da polícia em Tsim Sha Tsui, Hong Kong, durante confrontos registados este domingo na sequência de uma marcha ilegal que juntou milhares de pessoas, informou a emissora pública de rádio local RTHK.

As forças de segurança recorreram igualmente a canhões de água para afastar os manifestantes, enquanto a polícia na esquadra de Mong Kok também usou gás lacrimogéneo contra a multidão.

Há relatos de jornalistas feridos durante a ação policial em Tsim Sha Tsui. De acordo com a RTHK, a polícia acusou os jornalistas de estarem a obstruir a ação das forças de segurança e pediu que se retirassem do local onde estavam ocorrer escaramuças com manifestantes.

A marcha foi convocada pela Frente Cívica dos Direitos Humanos de Hong Kong, mas proibida pelas autoridades locais.

Os manifestantes ocuparam as ruas principais em Tsim Sha Tsui, num protesto convocado para protestar, designadamente contra a proibição do uso de máscaras decretada pelo governo local.

Ao início da tarde a multidão bloqueou todas as ruas na zona de Nathan Road, onde se viam muitos manifestantes a envergar camisas pretas, máscaras a cobrir a face e empunhando guarda-chuvas.

Grupos radicais voltaram a arremessar coquetéis molotov (bombas incendiárias artesanais), nomeadamente contra uma das entradas da estação de metro de Mong Kok, tendo destruído equipamentos, como câmaras de vigilância. Meia dúzia de estações de metro foram encerradas por razões de segurança, uma prática que tem sido seguida pela MTR (empresa que explora as linhas) nestas situações.

Relacionadas

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG