EUA pedem a libertação de jornalistas da Reuters detidos na Birmânia

Jornalistas birmaneses Kyaw Soe Oo (G) e Wa Lone após serem sentenciados a sete anos de prisão em Yangon

Jornalistas birmaneses Kyaw Soe Oo (G) e Wa Lone após serem sentenciados a sete anos de prisão em Yangon em 3 de setembro de 2018

  |  AFP/Arquivos

Os Estados Unidos voltaram a pedir nesta quarta-feira a Mianmar a libertação de dois jornalistas da agência de notícias Reuters detidos após informar sobre a crise da minoria muçulmana rohingya, expressando preocupação um dia após a justiça local negar recurso de apelação dos profissionais

A porta-voz do Departamento de Estado americano, Morgan Ortagus, disse que a decisão Suprema Corte do país manda "um sinal profundamente negativo sobre a liberdade de expressão" em Mianmar.

Detidos em dezembro de 2017, Wa Lone, de 32 anos, e Kyaw Soe Oo, de 28, foram condenados a sete anos de prisão por violar a lei de segredos de Estado, legislação que data do período colonial do país.

Leia mais em ISTOÉ.

Relacionadas

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG