Estado Islâmico reivindica dois novos ataques no norte de Moçambique

O grupo 'jihadista' Estado Islâmico (EI) reivindicou dois novos ataques armados conta alvos civis e militares, provocando vários mortos, no norte de Moçambique, de acordo com um comunicado que publicou no seu boletim semanal Al-Naba.

"Na quarta-feira, os soldados do califado atacaram um posto do exército 'cruzado' na vila cristã de Quiterajo, na área de Cabo Delgado, e mataram muitos elementos do posto, enquanto os que sobreviveram fugiram", lê-se numa tradução do boletim árabe a que a Lusa teve hoje acesso.

"Os 'mujahideen' [atacantes] levaram uma variedade de armas e munições como espólio e também queimaram casas da vila cristã em vingança pelos muçulmanos", acrescenta. O grupo acrescenta que, numa outra operação, "soldados do califado" atacaram outro posto militar na vila de Cobre, "matando muitos dos elementos e queimando completamente veículos e tanques", além de conseguirem apropriar-se de armas e munições. As reivindicações coincidem com outros relatos no que toca à aldeia de Quiterajo. O boletim de observação eleitoral do Centro de Integridade Pública (CIP), que acompanha a campanha para a votação geral (eleições presidenciais, legislativas e provinciais) de 15 de Outubro, relata que na quarta-feira "um grupo de insurgentes voltou a atacar a população do posto administrativo de Quiterajo, distrito de Macomia".

Leia mais em Jornal de Angola

Relacionadas

Exclusivos