Documento confirma oferta ilegal de mensagens por WhatsApp na eleição

Proposta não aceite pela campanha de Alckmin pediu R$ 8,7 mi por disparos via aplicativo.

Trocas de emails e a proposta de um contrato obtidas pela Folha confirmam a oferta de disparos em massa por WhatsApp a campanhas políticas, utilizando base de usuários de terceiros, em desacordo com a lei eleitoral.

A Croc Services formalizou proposta de R$ 8,7 milhões à campanha de Geraldo Alckmin (PSDB) à Presidência, usando nomes e números de celulares obtidos pela própria agência, e não pelo candidato.

Leia mais em Folha de S. Paulo

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

Relacionadas

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG