Chefe de Estado rejeita perseguição a minorias

João Lourenço

João Lourenço

  |  DR

O Presidente da República, João Lourenço, rejeitou ontem, em Roma, que haja minorias perseguidas em Angola.

Em declarações à Rádio Deutsche Welle, uma emissora internacional alemã, João Lourenço disse não ter conhecimento de nenhum caso.

A uma pergunta do jornalista sobre eventual encerramento de mesquitas em Angola, o Presidente da República disse que os muçulmanos nunca foram perseguidos nem molestados por ninguém. "Eles convivem perfeitamente com cidadãos angolanos. Inclusive, há um bairro em Luanda, muito próximo do Aeroporto, quase tomado por eles. Não há caso de detenção nem de expulsão", esclareceu o Presidente, que considerou a pergunta "uma insinuação".

Leia mais em Jornal de Angola.

Relacionadas

Exclusivos