Próximos cinco meses sem ligações diretas entre Lisboa e Pequim

O primeiro voo direto entre Lisboa e Pequim teve lugar no dia 26 de julho de 2017

Pouco mais de um ano após a inauguração da ligação direta entre as duas capitais, a companhia Beijing Capital Airlines, do grupo HNA, decidiu suspender esta ligação alegando "razões operacionais". A partir de 15 de outubro os viajantes terão de voltar às "tradicionais" escalas para voos de longo curso.

"Confirmamos a suspensão dos voos entre Lisboa e Pequim, com começo a 15 de outubro e até março", indicou a Beijing Capital Airlines no final do passado mês de agosto, não especificando, contudo, os motivos que levaram a tal decisão. A companhia chinesa apenas alega "razões operacionais".

Esta decisão coloca um ponto final - ainda que com um prazo previsto de cinco meses - na única ligação aérea direta entre Lisboa e Pequim e que até 15 de outubro se realiza com uma frequência de três voos semanais. O fim desta rota implica que os passageiros voltem a ter necessidade de fazer escalas entre vários voos e companhias para conseguirem viajar entre as duas cidades.

Com uma taxa média de ocupação do voo fixada nos 80%, nos meses de época baixa, e superando os 95% na época alta, no primeiro ano desde que começou a voar para Portugal, a Beijing Capital Airlines transportou mais de 80 mil passageiros, segundo dados divulgados em julho deste ano.

Refira-se que a Capital Airlines é uma das subsidiárias do grupo chinês HNA, que enfrenta uma grave crise de liquidez, depois de ter fechado o ano passado com uma dívida de 598 mil milhões de yuan (cerca de 77 mil milhões de euros), de acordo com os dados divulgados na apresentação dos seus resultados anuais.

O Plataforma contactou a empresa para mais esclarecimentos, não tendo recebido, até ao momento, qualquer resposta.

Relacionadas