Revendedores de combustíveis esperam rápido acordo após fim da crise energética

Militares da GNR escoltam camiões com combustível à saída da sede da Companhia Logística de Combustíveis

Militares da GNR escoltam camiões com combustível à saída da sede da Companhia Logística de Combustíveis (CLC), em Aveiras de Cima, durante a greve por tempo indeterminado dos motoristas de matérias perigosas e de mercadorias, Azambuja, 12 de agosto de 2019. Portugal está, desde sábado e até às 23:59 de 21 de agosto, em situação de crise energética, decretada pelo Governo devido a esta paralisação, o que permitiu a constituição de uma Rede de Emergência de Postos de Abastecimento (REPA), com 54 postos prioritários e 320 de acesso público. CARLOS BARROSO/LUSA

  |  LUSA

Francisco Albuquerque considera que revendedores de combustíveis "foram fundamentais para minimizar o impacto da greve".

A associação de revendedores de combustíveis registou "com agrado" o anúncio do final da greve e do estado de crise energética e espera que haja um acordo entre as partes envolvidas o mais depressa possível.

"Registamos com agrado o anúncio do final da greve e o fim do estado de crise energética que estava decretado. Esperamos que as partes envolvidas cheguem a um acordo o mais brevemente possível", afirmou o presidente da Associação Nacional de Revendedores de Combustíveis (ANAREC), Francisco Albuquerque, em declarações à Lusa.

Leia mais em TSF

Relacionadas

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG