Kwanza em desvalorização acelerada

Kwanza em desvalorização acelerada

O Kwanza registou hoje uma desvalorização superior a 3% face ao euro e ao dólar norte-americano (USD), a maior variação diária registada em três anos, de acordo com as cotações médias diárias publicadas pelo Banco Nacional de Angola (BNA).

Desde 1 de janeiro, a moeda angolana já se depreciou em 25,08% face ao euro e em 27,67% face ao dólar. Só em este mês, o Kwanza desvalorizou-se 12,39% (euro) e 11,39% (USD).

As taxas oficiais do BNA publicadas esta manhã valorizavam a divisa norte-americana em 426,64 Kwanzas e a moeda europeia em 471,21 Kwanzas, valores médios das cotações para a compra e venda.

No mercado paralelo, as divisas eram transacionadas a 580 (euro) e 550 (USD) Kwanzas, segundo os dados divulgados pelo Angola Forex, um blog sobre a moeda oficial angolana.

Após esta desvalorização, o euro vale mais 23% no mercado paralelo do que no mercado oficial, sendo essa diferença maior para o dólar (29%).

No seu recente discurso sobre o Estado da Nação, pronunciado há dois dias, na Assembleia Nacional, o Presidente angolano, João Lourenço, afirmou que "a diferença entre o mercado informal e o paralelo de divisas, que em dezembro de 2017 atingia 150%, foi reduzida para cerca de 35%" e que se assiste no mercado cambial, em 2019, "a uma depreciação mais branda da moeda nacional em relação ao dólar norte-americano, numa magnitude de 16,01%, depois de se ter registado uma depreciação de 46,23% no ano anterior."

Desde o dia 1 de janeiro de 2016, quando a autoridade monetária e cambial angolana operou uma desvalorização de 15%, que o Kwanza não registava uma desvalorização tão alta como a verificada hoje (3%) em apenas uma sessão ​​​​​​.

Ao longo de 2017, as taxas de câmbio mantiveram-se inalteradas. No dia 4 de janeiro de 2018, o BNA adotou um novo regime para a venda de moeda aos bancos comerciais, caracterizado pela flutuação da taxa de câmbio dentro de um intervalo, com um limite máximo e um limite mínimo, intervalo denominado como banda cambial, cuja média define o câmbio do dia.

Desde 1 de janeiro de 2014, ano em que eclodiu a crise dos preços do petróleo nos mercados internacionais, principal matéria-prima das exportações de Angola, a moeda angolana perdeu 71,48% do seu valor face ao euro e 77,12% em relação ao dólar.

Relacionadas

Exclusivos