Polo turístico precisa de investimento de três mil milhões de dólares

Cabo Ledo, na província de Luanda

Aproveitando a visita do vice-presidente angolano, diretor-geral do Polo de Desenvolvimento Turístico de Cabo Ledo falou das potencialidades do projeto que poderá criar 13 mil empregos.

Jacob Moisés apresentou esta quinta-feira o Plano de Requalificação do Polo de Desenvolvimento Turístico de Cabo Ledo à comitiva liderada pelo vice-presidente angolano, Bornito de Sousa e aproveitou a ocasião para defender o papel que o projeto pode ter enquanto âncora do desenvolvimento turístico regional.

Para atingir este objetivo, o diretor-geral do Polo de Desenvolvimento Turístico de Cabo Ledo apontou a necessidade de o Governo investir três mil milhões de dólares, numa primeira fase, para a construção das infraestruturas básicas na região, noticia a Angop.

Um investimento que, assegurou ao alto representante do Estado, levaria à criação de 13 mil postos de trabalho, diretos e indiretos, e de 2500 quartos.

O encontro com a comitiva de Bornito de Sousa serviu também para que o vice-presidente ficasse a conhecer o Plano Diretório da Muxima que numa primeira fase vai proporcionar água potável a 40% da população e energia elétrica a 70%.

Para além das infraestruturas básicas, o plano prevê também a construção de um instituto politécnico, bibliotecas e recintos desportivos.

Em paralelo está em preparação o Plano de Requalificação do Santuário da Muxima e a construção de uma basílica com mais de quatro mil lugares e uma praça que albergará 200 mil devotos.

Relacionadas

Exclusivos